-Tio posso brincar com essa violinha?

Essas foram as palavras de minha sobrinha mais nova ao se deparar com o ukulele jogado no sofá da minha casa. Pudera, ele parece mesmo um brinquedo. E o é. Mas é um brinquedo para gente grande também. Um brinquedo de timbre doce e calmo, que nos põe imersos em um outro mundo. Um mundo que nós, os tocadores de ukulele conhecemos bem. Meu primeiro contato com este pequeno notável, foi ouvindo uma gravação do grande Israel Kamakawiwo'ole, o eterno mestre Iz. Me lembro como se fosse hoje. Fiquei admirado com a beleza daquele som. Como pode ser tão simples e tão rico ao mesmo tempo?

Na época eu já dedilhava um pouco de violão e viola caipira, isso aguçou ainda mais meu desejo por aprender aquele instrumento que para mim era novo.

Pesquisei um pouco e veio a primeira decepção: não havia esse tipo de instrumento à venda no Brasil em toda esquina como ocorre com o violão. Eu teria que importar. Então me esqueci dele por um tempo. E então em 2009 comprei meu primeiro ukulele.

Com ele nas mãos o próximo passo era aprender a executar. Impressionei-me com a falta de material disponível em português. Esta foi a segunda decepção. E mesmo em inglês não tinha muita coisa. No entanto, como eu já tinha alguma noção de música, até que foi fácil adaptar os conhecimentos do violão e da viola para o uke.

Assim a minha inspiração foi a lacuna que existe no Brasil em termos de material didático para este instrumento. Escrevi este texto para que os iniciantes no campo da música não tenham dificuldades em executar suas músicas preferidas embaladas pelos doces acordes do ukulele. Espero do fundo de minha alma que este site seja útil no aprendizado do leitor. E desejo muito sucesso com esta maravilhosa "violinha".